Episódio 04: E se não existisse dinheiro no mundo?

Você já imaginou viver em um mundo sem dinheiro? Luiza, Bruno, Tio Samuel e nossa primeira convidada especial: Nina, imaginaram …. E se … não existisse dinheiro no mundo!!? E neste episódio temos um “E se…” extra: Já imaginou viver em um mundo onde todo mundo estivesse armado?


transcrição do episódio

Tio Samuel: Muito bem. Estamos gravando mais um episódio do nosso “E se ..” podcast, tudo bem , galera? Aê.

Todos. Ê.

Tio Samuel: Nossa, que animação. Olha só, hoje nós temos… Hoje é um programa muito especial porque além da podcaster mais charmosa, mais bonitinha e mais jovem da podesfera brasileiro, que é a Luiza, tudo bem, Lu?

Luiza: Sim.

Tio Samuel: Como é que você tá? Você tá bem?

Luiza: Sim.

Tio Samuel: E eu tenho aqui uma figura incrível, que até um tempo atrás…

Sr. Leite (Bruno): Revelou meu nome… Que é Bruno Takata de Toledo… Mentira.

Tio Samuel: É…

Sr. Leite (Bruno): Bruno Leite.

Tio Samuel: Até um tempo atrás ninguém…

Sr. Leite (Bruno): Vou revelar meu CPF, é…

Tio Samuel: Ok, mas você já se revelou. Eu ia falar assim: “estamos aqui também com o nosso super integrante desse programa que é o…”.

Sr. Leite (Bruno): Bruno Takata Leite.

Tio Samuel: É isso aí. Bruno Leite. E hoje, aqui quem está falando vocês já conhecem, esse velho que vos fala, o Tio Samuel está aqui também.

Sr. Leite (Bruno): Tem 42 anos.

Tio Samuel: Pois é, ele sempre revela a minha idade. Então nós temos aqui hoje uma participação muito especial, que é dá…

Nina: Nina.

Tio Samuel: Muito bem, Nina.

Nina: Olá.

Tio Samuel: Seja bem vinda.

Nina: Obrigada.

Tio Samuel: Bem vinda ao nosso programa, é uma honra e uma alegria contar contigo hoje, neste primeiro episódio com convidados. Teremos outros… Não posso dar spoiler, mas teremos outros logo mais. Mas nesse primeiro episódio com convidados a gente vai fazer a honra do e se… Vai começar com a nossa convidada. Então deixa eu só explicar para quem está chegando agora no nosso programa, não só a nossa convidada especial que é a Nina, mas também quem está ouvindo pela primeira vez esse programa. Eu vou explicar como é que funciona, qual é a ideia aqui? A ideia é que a gente faça um “e se.. tal coisa acontecesse?” Ou “e se o mundo fosse tal coisa”…

Sr. Leite (Bruno): Eu já expliquei pra ela quando a gente tava jogando Minecraft.

Tio Samuel: Ah, você já deu um spoiler pra ela? Mas a Nina também…

Sr. Leite (Bruno): Ela já sabia também… né?

Tio Samuel: Ela é uma ouvinte nossa. Então tá. Nina, você já conhece as regras do nosso programa, então, fala bem pertinho do microfone, eu quero que você comece com um “e se…” seu. Lança aí pra gente, vamos ver.

Nina: Hum… Vamos ver… E se…não existisse dinheiro?

Tio Samuel: Caramba, essa é boa, hein. Vocês entenderam? E se… não existisse dinheiro.

Sr. Leite (Bruno): O mundo seria um lugar mais feliz.

Tio Samuel: Caramba, olha só. Mas vamos lá. Então vamos começar com a Lu. Lu, diz uma coisa pra mim, e se… não existisse dinheiro?

Luiza: A gente não ia poder comprar nada.

Tio Samuel: É verdade…

Sr. Leite (Bruno): (ininteligível) [00:03:05] seria de graça.

Tio Samuel: Então…

Nina: Na verdade não é de graça, né? Porque essa coisa de dinheiro, ele não existiria não é porque ia sumir do nada, a gente não ia nem ter inventado o dinheiro, então a gente outras formas de, entre aspas, comprar as coisas, não é?

Tio Samuel: Boa.

Nina: Poderia ser tipo trocas.

Tio Samuel: Ou seja, haveria outra forma de moeda.

Nina: De conseguir.

Tio Samuel: Que eu não seja o papel, não é?

Nina: É, na verdade, não. Não existiria coisa de troca. Tipo… Na verdade, seria tipo uma troca memso, de coisas ou até mesmo de favores.

Tio Samuel: Tipo como era no começo?

Nina: Isso.

Tio Samuel: Ou seja, escambo.

Nina: Sem ser (ininteligível) [00:03:20].

Tio Samuel: Serviço. Por exemplo, vamos dar um exemplo. Vamos um exemplo aqui, para colocar… Não só a Lu, que tá quase dormindo aqui na minha frente, mas o Bruno também nessa conversa. Vamos imaginar assim, por exemplo, eu, papai aqui, fosse um cozinheiro, famoso… Cozinhasse pratos incríveis, mas como não existisse dinheiro, a gente teria que em trocar alguma coisa, ou seja, eu cozinharia pra você e você trocaria, por exemplo, você cantaria uma música pra mim. Por exemplo. É isso?

Nina: É, tipo isso. Mas daí seria um pouco mais equilibrado, né?

Tio Samuel: Tipo o quê?

Nina: Troca de favores.

Tio Samuel: Favores… Serviços mesmo?

Nina: Serviços.

Tio Samuel: É uma boa. E você, Lu? Bom, a Lu disse que não daria para comprar nada. É isso que você falou, meu amor?

Sr. Leite (Bruno): Tá, gente. O que que ia acontecer? O mundo ia ser um lugar feliz, porque daí não ia ter roubo.

Tio Samuel: Não teria roubo… Isso é um bom ponto, hein? O que você acha, Nina?

Nina: É…

Tio Samuel: Tipo, não teria violência, em tese, né?

Nina: Porque não teria muitos bens acumulados, né?

Tio Samuel: É… Distribuição de renda. Ou seja, isso é um ponto interessante. Não sei se vocês sabem, mas um dos principais pontos de desigualdade do planeta é porque tem muito acúmulo de riqueza, ou seja, tem pouca gente com muito e muita gente com nada. Então, se não existisse dinheiro, talvez a gente teria mais equilíbrio nas nossas relações, não é?

Nina: Uhum.

Tio Samuel: Talvez. .

Sr. Leite (Bruno): Todo mundo seria feliz.

Tio Samuel: É um ponto, mas será…

Sr. Leite (Bruno): A maioria. Pelo menos a maioria.

Tio Samuel: Ah, é um ponto. Mas foi um bom ponto, viu, Nina? Eu gostei. Eu não sei se daria muito certo, sendo bem honesto.

Luiza: Eu também, não…

Nina: Depende das pessoas.

Tio Samuel: Não ter dinheiro e tal, mas…

Nina: É que hoje em dia… Seria totalmente diferente, né? Porque as pessoas já estão acostumadas com isso. Se elas tivessem, sei lá,  já em um mundo que fosse assim, talvez fosse se acostumando, se adaptando, até conseguir viver normal sem dinheiro.

Tio Samuel: E aí… Bom, vamos lá. Então temos todo mundo um veredito? Seria bom ou seria ruim na sua opinião? Vamos passar uma rodada. Lu, na sua opinião, se não existisse dinheiro no mundo, seria uma coisa boa uma coisa ruim?

Luiza: Pra mim seria uma coisa boa.

Tio Samuel: Boa…Não ter dinheiro.

Luiza: Porque se não existisse dinheiro se as pessoas tivessem uma nota de… Tipo, não ia existir e não ia ter nenhuma pessoa com nota de 100, daí elas não iam brigar. Por qualquer nota de dinheiro.

Sr. Leite (Bruno): Bom, se não tivesse dinheiro esse podcast não existiria.

Tio Samuel: Por quê?

Sr. Leite (Bruno): Por causa dos equipamentos. Você não pagou por esses equipamentos?

Tio Samuel: Mas eu poderia ter trocado, por exemplo, poderia ter cantado uma canção…

Sr. Leite (Bruno): Pra ganhar os equipamentos profissional?

Tio Samuel: Para comprar um gravador. Talvez.. Então… E você, Nina? Qual o seu veredito? Então você acha que seria uma boa coisa?

Nina: Eu acho que seria muito bom, na verdade.

Tio Samuel: Não ter dinheiro?

Nina: Em vários sentidos, né? Principalmente no sentido de desigualdade, de as pessoas ficarem, tipo, comparando se você tem dinheiro ou se você não tem tanto, enfim… Ia ser bem melhor, na verdade.

Tio Samuel: Muito bem. Muito obrigado, Nina. Nina foi a nossa primeira convidada do podcast. Isso é uma alegria muito grande. Eu espero que você volte em outras ocasiões.

Nina: Com certeza.

Tio Samuel: Antes de ir para os nossos recadinhos finais, hoje eu estava conversando com Bruno, a gente está falando agora desse negócio da desigualdade, de “ai, se não  tivesse dinheiro…” e tudo mais, é um ponto interessante, porque é um papo de adulto, mas foram reflexões interessantes aqui nessa mesa que eu gostei muito. Mas eu estava conversando com Bruno hoje de manhã, né, Bru? Na verdade, o que eu estava falando com o Bruno? Bruno estava, por acaso, jogando videogame e era um vídeogame que tinha um tirinho lá, uma coisa não sei o que, aí eu falei: “Bruno, e se todo mundo andasse armado?”.

Nina: Nossa…

Tio Samuel: O que vocês acham que seria disso? Da vida?

Sr. Leite (Bruno): O mundo ia explodir.

Tio Samuel: Seria muito ruim ou muito bom?

Sr. Leite (Bruno): Tipo assim, você tá andando na rua de boa e vem um cara…

Tio Samuel: Então, qual que é sua opinião sobre isso?

Sr. Leite (Bruno): Eu sei lá.

Tio Samuel: Não? Você acha que seria bom? Seria ruim ter…

Luiza: Teria muito…

Sr. Leite (Bruno): Muito ruim? Fala no microfone, meu amor. Perto.

Luiza: Seria muito, muito, muito, muito ruim.

Tio Samuel: É mesmo, né? Por que que seria ruim?

Sr. Leite (Bruno): Vai ficar o dia todo trancado em casa. Pedir um Rappi.

Tio Samuel: Nina, na sua opinião, se a gente vivesse em estado de calamidade, onde todo mundo pudesse ter uma arma, andasse armado… Momento polêmico do “E se…”, mais uma vez, o “E se..” sempre criando polêmicas infantis.

Nina: Olha, então, seria horrível. Nossa… Uma catástrofe, porque qualquer um poderia ameaçar quem quisesse. Isso seria muito ruim. Ia ter muito medo, eu tenho certeza, qualquer um ia desconfiar de todo mundo e, nossa, ia dar tudo errado.

Tio Samuel: Ia ser horrível, né?

Nina: Não gosto nem de pensar nisso.

Tio Samuel: Eu também não. Eu sou absolutamente contra, apesar de esse ser um podcast pra vocês, crianças, refletirem, acho que é importante, como esse papo entrou muito naturalmente na nossas conversas, era importante eu dividir isso com vocês, que eu seria absolutamente contra. Agora eu quero ouvir a Lu. Ô, Lu, me diz uma coisa, se todo mundo tivesse uma arma… Ia ser ruim ou ia ser bom?

Luiza: Ia ser muito, muito, muito, muito horrível.

Tio Samuel: Por que, meu amor?

Luiza: Porque as pessoas não iam conseguir, tipo, não ia conseguir sair de casa. Se elas dessem um passo já ia dar uma armadilha pra pessoa. Aí ela não conseguiria sair.

Tio Samuel: Boa. Pessoal, a gente está com bastante tempo, esse “E se…” deu uma extrapolada no nosso horário, mas… Mas foi muito legal. Eu queria deixar primeiro… Mais uma vez quero agradecer demais a participação da nossa convidada especial, da Nina. Nina, adoramos ter você aqui.

Nina: Obrigada novamente.

Tio Samuel: A gente vai com certeza gravar mais vezes…

Nina: Uhum…

Tio Samuel: E eu queria deixar alguns recados muito importantes. Primeiro que nós temos um site, ele chama “esepodcast.com.br” e lá você tem todas as informações sobre a gente, sobre os episódios…

Sr. Leite (Bruno): Mais pra frente teremos músicas… (ininteligível) [00:10:02] que a gente pode criar… Teremos historinhas clássicas montadas…

 Isso, teremos muitas novidades, mas o mais importante é que se você quiser saber sobre as novidades do E se… Podcast, o primeiro caminho é acessar o “www.esepodcast.com.br”, além do nosso site nós temos também um Instagram, olha só como estamos modernos.. É “@ese_podcast”, lá tem muita coisa legal. Estamos volta e meia publicando conteúdos legais lá. Temos um Facebook, vejam vocês, que está bombando também, é “E Se Podcast Oficial”, lá tem muita coisa legal, muita gente ouvindo. E eu quero deixar um agradecimento especial, porque a gente foi hoje… O Podcast ele, evidentemente, ele é gravado e está disponível no Brasil todo, né? Pra todo mundo ouvir, mas hoje um grande amigo nosso, que é o Léo Cassano, amigo do papai, amigo da nossa família, mencionou… Vejam vocês como estamos famosos, o “E se..” podcast  na CBN.

Sr. Leite (Bruno): Mentira…

Nina: Nossa…

Tio Samuel: Sim, fomos mencionados na CBN. Então, Léo, um beijo aí, muito obrigado pelo carinho. A gente fica muito feliz. Então, pessoal, fica aqui mais uma vez o convite pra vocês todos contarem do nosso programa pra outras pessoas para que outras crianças, para que outros papais e mamães possam também fazer parte dessa rodada.

Sr. Leite (Bruno): Todo mundo da sua família. Todos seus amigos. Pro cachorro, pro gato, pro “ómiranha”…

Tio Samuel: Pra todo mundo.

Nina: Com certeza eles vão gostar, né?

Luiza: Até pra aranha de casa.

Tio Samuel: Boa. Pessoal, muito obrigado, foi um prazer gravar esse podcast e até a próxima. Tchau, tchau.

Todos: Tchau.

 [vinheta]. 

2 Comments

  • Lincoln
    Posted 11 de July de 2019 09:40 0Likes

    Gente! Que delícia de podcast! Parabéns pela iniciativa! Que crianças inteligentes! Seguindo já… Vou acompanhar!

    • Equipe do site
      Posted 11 de July de 2019 15:10 0Likes

      Obrigado, tio Lincoln 🙂 Que bom que você gostou!!

Leave a Comment